quarta-feira, 7 de abril de 2010

Ócio

Dia desses, avaliando a produtividade da minha vida nas páginas em branco da minha agenda, cheguei a uma impressionante conclusão: faltam compromissos no meu dia-a-dia. Entra ano, sai ano, e minhas agendas continuam limpinhas, apesar da constante promessa, normalmente feita lá pra novembro de cada ano, que, no ano seguinte, minha vida será (seria) organizada. Já estamos em meados de abril e os únicos compromissos assumidos até agora foram 'academia' e 'massagem'. A verdade é que desde que me formei, em dezembro de 2004, tenho procurado a minha 'razão de ser'. Penso que me formei no curso errado, apesar de gostar de escrever. Meu trabalho não me satisfaz plenamente porque não tenho, como gestora, instrumentos necessários para atingir as metas que me são gentilmente impostas. Não comecei uma Pós-Graduação, porque não estou atrás de 'currículo', mas de experiência útil para o meu crescimento profissonal e pessoal. Não estudei línguas, porque já sei falar inglês, e até pouco tempo atrás, quando visitei à Argentina, achava que falar espanhol não era necessário. Pra quê espanhol se posso falar Portunhol? Engano o meu. A comunicação com los hermanos argentinos não foi fácil. Acho que nos últimos anos nunca tive tanto tempo de ócio. Além dos intermináveis 40 min de trânsito para chegar em casa do trabalho todos os dias; além dos domingos que eu acordei, sem ter o que fazer, e com preguiça de fazer qualquer coisa, tive todas as noites livres pra fazer o que bem entendesse. E agora, depois de tanto tempo, chegou a hora de me despedir um pouco do ócio e preencher a minha agenda, nem que seja para não esquecer a consulta ao ginecologista...

2 comentários:

Rico disse...

Continuo admirando o teu jeito de escrever e, mesmo distante, sinto-me mais próximo. Na Argentina, entenderam-me muito bem mas eu pouco ou quase nada entendi deles. Espanhol? Acho que eles falam outro idioma, rsrsrs.

Iúri Araújo disse...

mais um leitor secreto presente. :)